sábado, 26 de julho de 2008

Deram-me

um par olhos novos. Disseram-me que os meus já estavam misturando as imagens, apesar de não perceber.

São belos olhos amarelos, quase dourados. Estou com eles em mãos agora, e eles me miram como que tentando hipnotizar-me. Suas pupilas vão dilatando vagarosamente, envolvendo-me em seu abraço devorador.

Deram-me um par de olhos para que eu os veja como eles querem que eu os veja.
Acho que prefiro vê-los misturados. Sem contorno, sem maniqueísmo.

Guardei os olhos gateados numa caixinha delicada e deixei-a na rua. Talvez alguém faça mais proveito de uma visão de mundo mais nítida e identificável. Por mim, continuo andando por entre névoas.

Um comentário:

Randela disse...

como sempre, ótimo! Rand